TTR e WSF: focando nos Jogos Olímpicos de inverno e no South America Tour

Entre os dias 27 e 29 de maio, em Estocolmo (SWE), reuniram-se em assembléia geral, como todos os anos, os representantes nacionais da cúpula do TTR onde foram apresentados os resultados obtidos durante a temporada invernal 2010/11, mas também discutiu-se, entre outras coisas, sobre os planos para poder conseguir uma maior colaboração entre os vários órgãos que se ocupam de snowboard, rumo à desenvolver um correto e justo sistema de qualificação para as Olimpíadas em Sochi 2014. Vale lembrar que o International Olympic Committee (IOC) ainda não manifestou-se a respeito deste sistema e ainda não oficializou quais as competições que serão consideradas válidas para adquirir meritocraticamente uma vaga nos próximos Jogos na Rússia. O TTR é atualmente o circuito mais respeitado no mundo do snowboard e faz tempo que a organização no-profit de snowboarders criada por Terje Haakonsen e sócios (todos riders…) apresentou ao comitê olímpico várias petições neste sentido e já entregou um válido, simples e detalhado modelo que poderia ser utilizado para decidir o padrão de qualificação para as disciplinas freestyler de snowboard, como halfpipe (HP) e slopestyle (SS), e que incluiria além do TTR World Snowboard Tour outros eventos independentes. Por enquanto as conversas entre TTR, IOC e FIS são ainda muito tímidas, mas é bom lembrar que o TTR fala também com a voz do WAS (We Are Snowboarding), o sindicado que reúne os melhores snowboarders do mundo e que afinal serão eles a participar fisicamente do evento olímpico influenciando-o diretamente quanto os nível de qualidade e prestigio das provas e não os patrocinadores e/ou as mídias.

Mas durante esta assembléia geral foram discutidas e tomadas outras importantes decisões. A começar do próximo inverno o ranking mundial será dividido em mais categorias para poder dar o justo peso por cada disciplina e sexo: além do título overall masculino e feminino que já existem hoje, serão premiados com o título mundial as disciplinas de halfpipe (HP) e slopestyle (SS) tanto masculino quanto feminino, e também receberá o título de melhor do mundo a disciplina de bigair (BA), mas por enquanto exclusivamente na categoria masculina.

E para poder ter mais interação e sinergia entre o TTR a WSF e o WAS, o Board of Directors ampliou-se acolhendo novos membros, com a perspectiva de poder assim ter um mais eficiente envolvimento de todos os maiores órgãos que coordenam a grande família do snowboard mundial.

Também a assembléia geral da WSF trouxe novidades bem interessantes com os, além de tudo, programas que visam desenvolver novos horizontes até então esquecidos e que envolvem diretamente o nosso (OBAA!!…) continente. Finalmente, depois de uns anos de standby e muita confusão, parece que este inverno será o marco zero do início concreto da WSF South America, que atualmente está representada oficialmente no Peru, Chile, Argentina e Brasil! A grande ideia é conseguir organizar já para esta temporada uma WSF South America Cup na tentativa de oferecer aos riders latinos a possibilidade de ganhar pontos e poder assim ter a chances de representar os próprios Países no mundial WSF de Oslo 2012. É provável que, pensando nisso, pelo meado de agosto poderá acontecer um WSF South America Forum em Valle Nevado (CHL) para discutir os detalhes disso entre todos os interessados da América Latina.

Mais detalhes e infos AQUI… em quinze dias mais ou menos ;)

Gostou? Tem mais:

Sobre ianny

...moro no Brasil, em uma ilha, e procuro neve, por paixão e por necessidade, o tempo inteiro, independentemente do mês ou do hemisfério. Sou snowboarder, goofy, mas provo prazer com todas as coisas que deslizam na neve, especialmente se são rápidas e harmoniosas com o contexto de montanha.