Kronicle, focando no snowboard backcountry

Há alguns dias atrás teve a estreia da Kronicle, um magazine gringo totalmente direcionado ao backcountry com o snowboard. Se antes aventurar-se pelas montanhas na procura de novos desafios e de neves virgens era algo totalmente restrito a um pequeno nicho de experts das montanhas, hoje experimentar esta incrível sensação de poder conquistar novos espaços que andam além das pistas marcadas pelos ski resorts, está cada vez mais ao alcance de muitos. Além de ter a disposição mais informações, muitas indústrias do setor neve desenvolveram produtos finalizados a esta disciplina e a massificação destas ferramentas barateou os custos tornando-os mais acessíveis para todos. Um exemplo disso pode ser os preços dos ARVA/beacon e das splitboards, que permitem a agilidade de ter um só equipo polivalente tanto na subida quanto na descida, diminuindo sensivelmente a carga de peso.

Também as mídias nos últimos tempos exploraram fortemente o backcountry, tanto é que surgiram muitas competições dedicadas e vários atletas, como Xavier de Le Rue, Jeremy Jones e Johan Olofsson, focaram-se nesta disciplina que na real é o lado mais “core” do snowboard: conquistar a própria montanha não através da comoda solução de usar os meios de elevação, mas merecendo o incrível prazer de deslizar no powder somente depois de uma meritocrática peregrinação para chegar ao topo.

Evidenciando sempre que realizar uma jornada de backcountry e/ou freeride é coisa para experts e isso não significa simplesmente saber esquiar ou snowboardar, mas também conhecer o território, saber interpretar os sinais de perigo e ter o conhecimento suficiente para enfrentar tanto a subida quanto saber eleger a parede melhor para a descida. Além ser indispensável ter uma total habilidade no manuseio das ferramentas de segurança e de como usá-las em caso de necessidade. E olha lá! Isso não garante nenhuma segurança, mas ajuda a prevenir aqueles riscos básicos sempre presentes nestas aventuras pelas montanhas desconhecidas. Na maioria dos casos a solução melhor e mais segura é a de contratar uma guia local para nos acompanhar nesta experiência que com certeza irá mudar o teu relacionamento com o branco e silencioso mundo das montanhas nevadas.

Mais detalhes e infos AQUI.

Gostou? Tem mais:

Sobre ianny

...moro no Brasil, em uma ilha, e procuro neve, por paixão e por necessidade, o tempo inteiro, independentemente do mês ou do hemisfério. Sou snowboarder, goofy, mas provo prazer com todas as coisas que deslizam na neve, especialmente se são rápidas e harmoniosas com o contexto de montanha.