O snowboard foi tristemente traído, de novo!!


Eles fizeram isso de novo!! Eles traíram novamente o nosso esporte, mas claro, eles não são snowboarders, mas esquiadores!! Isso não é um grito racista contra o esqui e os esquiadores, mas contra o controle absoluto (e absurdo…) que a FIS, uma federação de esquiadores, quer opinar e se meter a respeito de um outro esporte, o snowboard. Tudo começou muitos anos atrás quando a FIS tentou boicotar (há mais de vinte anos atrás…) o rápido crescimento deste novo esporte vetando a prática do snowboard nos centros de esqui, mas obviamente a rápida ascensão comercial deste esporte, incentivado pelo aumento exponencial de praticantes, obrigou os gestores dos ski resorts rever (por óbvias causas econômicas…) esta política de censura atuada pela FIS e “justificada” pelo medo de perder adeptos para o esqui em favor do snowboard.

A história nos conta também que em 1998 a FIS roubou (literalmente…) a disciplina do halfpipe (HP) que até então estava gerenciada pela International Snowboard Federation (ISF), a primeira federação reconhecida por todos os sonwboarders do mundo inteiro, e naquela edição dos Jogos Olímpicos, tenutose em Nagano (JAP), lendas do snowboard (como Terje Haakonsen…) boicotaram em sinal de protesto a própria participação aos Jogos. Mas o problema não era, e não são, os Jogos Olímpicos, que são realizados e gerenciados pelo IOC e não pela FIS, mas os critérios de qualificação que andam totalmente contra as verdadeiras necessidades dos riders em prol dos interesses comerciais e políticos da FIS, que sempre foi mais poderosa e influente a respeito da jovem federação de snowboarders… de forma superficial AQUI já foi explicado um pouco sobre este passado turbulento do snowboard e das federações.


Carta Olímpica assinada pelos mais influentes snowboarders do planeta

Hoje como ontem parece que a história está se repetindo: ontem com o halfpipe (HP) e a ISF, hoje com o slopestyle (SS) e o TTR/WSF, e para evitar este déjà vu, nos meses passados, os atletas se organizaram em um sindicato totalmente rider orientd, o We Are Snowboarding (WAS), e em conjunto a Terje, estipularam a elaboração de uma Carta Olímpica oficial (AQUI o link…) e assinada por todos os mais importantes (e não…) riders do planeta, na qual estão claramente especificadas as exigências e as necessidades a serem respeitadas para uma justa e aceitável forma de organizar o complexo sistema de qualificação para os próximos Jogos Olímpicos, que acontecerão em Sochi2014.

Mas o que mais choca todos nós é a total falta de credibilidade na palavra da FIS: no final de junho 2011 criou-se a Freestyle Snowboard Task Force, uma parceria bem interessante entre a TTR e a FIS, em favor do nosso esporte e dedicada a unificar as competições de snowboard, na tentativa de eliminar as antigas incompreensões e rivalidades, tudo em prol do snowboard… só que a FIS não está respeitando as regras e quer monopolizar tudo isso de novo, traindo esta parceria sem se importar com os acordos e consequências que isso irá ter, oprimindo sem critério todas as razões voltadas para criar uma verdadeira realidade em prol do nosso esporte.

Por enquanto as principais mídias internacionais de snowboard já comentaram e exprimiram o pleno desacordo com esta postura pouco ética e traiçoeira da FIS:










Mais detalhes e infos AQUI.

Gostou? Tem mais:

Sobre ianny

...moro no Brasil, em uma ilha, e procuro neve, por paixão e por necessidade, o tempo inteiro, independentemente do mês ou do hemisfério. Sou snowboarder, goofy, mas provo prazer com todas as coisas que deslizam na neve, especialmente se são rápidas e harmoniosas com o contexto de montanha.