Snowboard: uma história com mais de 400 anos

A lenda conta que no final do 1960 um cidadão norte americano, Sherman Poppen, inspirando-se ao surf, criou uma prancha de madeira (bem simples e sem nenhum tipo de fixações para os pés…) a qual deu o nome de Snurfer, uma combinação entre Snow + Surf, e servia para deslizar na neve. Poppen chegou até a organizar, no início dos anos 70, umas competições de snurf no Pando Winter Sports Park, um parque de neve em Rockford (EUA) que reuniu snurfers provenientes de toda a América do Norte. Em uma destas competições, em 1979, inscreveu-se um tal de Jake Burton Carpenter que competiu com uma prancha inspirada ao snurf mas inteiramente criada por ele e que tinha um sistema para fixar os pé na prancha. Além de Mr. Burton, também Tom Sims, outro nome destinado a marcar a história do snowboard, costumava presenciar nestas competições e em breve também ele começou a competir com protótipos criados por ele. Nos meados dos anos 70 surgiram as lendárias Sims Snowboards (antes) e Burton Snowboards (depois). Sims foi quem realmente criou os primeiros snowboards, mas não teve a visão comercial do potencial desse “brinquedo” como a teve Burton e pela qual ele hoje reivindica oficialmente a paternidade deste esporte. Mas a história do “conceito de snowboard” é bem mais antiga, não tem origens norte americanas e aparentemente não tem nenhuma ligação com o surf!! Ha mais de 400 anos existe uma tradição, viva até hoje e passada de pai para filho, entre a população dos vilarejos da região anatólica dos montes Kaçkar (TUR) a qual consiste em utilizar uma prancha de madeira rústica e equipada com uma corda para ajudar a manter o equilíbrio (como no snurf…), com a qual deslizar pela neve nas pendências das montanhas, exclusivamente para fins lúdicos. O vídeo faz parte de um documentário realizado por Jeremy Jones investigando sobre esta tradição que pode se revelar como o começo ancestral do nosso esporte.

Gostou? Tem mais:

Sobre ianny

...moro no Brasil, em uma ilha, e procuro neve, por paixão e por necessidade, o tempo inteiro, independentemente do mês ou do hemisfério. Sou snowboarder, goofy, mas provo prazer com todas as coisas que deslizam na neve, especialmente se são rápidas e harmoniosas com o contexto de montanha.