Sobre o snowkite na Patagônia com Leonardo “Lokalani” Borras

Quando se fala de snowkite, mas também de kitesurf, na Argentina, Leonardo Borras é com certeza uma das pessoas chaves que contribuíram ativamente na divulgação destes dois esportes. Nascido porteño, mas Barilochense de adoção, Leo aprendeu a kitear muitos anos atrás durante uma trip em Maui, no Hawaii (EUA) e desde então, ao voltar para casa, resolveu se dedicar totalmente para a difusão deste esporte tanto na água quanto na neve. Transferindo-se a Bariloche (ARG) para poder curtir tanto o playground oferecido pelo sugestivo lago Nahuel Huapi, quanto as neves que transformam as paisagens da Patagônia no inverno. Deu vida a um projeto visionário Atividades Lokalani, que nasceu como loja especializada em kite e snowkite e que hoje inclui também escolas dedicadas e uma ativa organização de eventos focados no progressivo desenvolvimento destes esportes. Presidente fundador da Associação Argentina de Snowkite (AASK) e sócio instrutor da Associação Argentina de Kite (AAK), Leo respondeu a umas perguntas básicas sobre o snowkite e a prática deste esporte na Patagônia.

# O que é o Snowkite?
Leo: nascido presumidamente na França, é um esporte ainda pouco conhecido, especialmente no Sul América e poderia ser considerado como a versão invernal do kitesurf. É praticado na neve e o equipamento é o mesmo do kitesurf com excepção da prancha que tem que ser um snowboard ou esquis. Depois o princípio é quase o mesmo que na água.

# Desde quando você o pratica?
L: aprendi a kitear na água em 1998 durante uma trip nas ilhas de Maui (EUA) com um amigo de Bariloche (ARG) com o qual aprendi este incrível esporte, que na época era novidade e na minha volta pra Patagônia sendo snowboarder e tendo a minha disposição neve e muitos espaços abertos, foi natural experimentar juntar os dois esportes em um só. Então pode se dizer que iniciei a snowkitear pela Patagônia em 2002.

# Quais as sensações do snowkite?
L: as sensações que se experimentam snowkiteando são indescritíveis! Imagina ter a possibilidade de poder deslizar livremente pelas montanhas sem se preocupar com os meios de elevação e/ou outras infraestruturas que usualmente são necessárias para curtir a neve. Snowkitear significa: você com uma prancha e a pipa no meio da Cordilheira podendo velejar por quilômetros e quilômetros só em contato com a natureza e muita emoção.

# Você tem uma estimativa de quantos snowkiter existem na Patagônia?
L: Não Não tenho um dado exato, mas acredito ainda poucos, considerando que é um esporte relativamente jovem e pouco difundido na Patagônia. Como AASK, todos os anos organizamos o único evento de snowkite do Sul América: o SnowKite Jam em Caviahue (ARG) que nesta ultima edição contou com a participação de quase 65 snowkiters.

# Como devem ser e quais as condições ideais para escolher um spot para praticar snowkite?
L: de forma geral o lugar escolhido deve ser amplo e livre de possíveis obstáculos (meios de elevação, árvores, rochas…) que podem se tornar perigosos especialmente no início. Para deslizar se aconselha um vento entre 5 e 25 knots e pelo menos neve entre 10 e 50 cm. Se aconselha sempre dar preferência para spots com uma geografia mais arredondada para excluir o perigo de avalancha e/ou fendas.

# Onde pode ser praticado na Patagônia?
L: basicamente em toda a Cordilheira Patagônica, cada lugar esconde a sua própria magia e oferece spots incríveis.

# Você pensa que este esporte evolucionará bastante?
L: sim!! É uma disciplina que além de ser jovem e que a cada ano evolui e se reinventa, não apresenta limites ou barreiras tanto na prática quanto nos desafios da alcançar.

# Existem padrões e medidas de segurança?
L: em 2009, com o apoio da Associação Argentina de Kite (AAK) criamos a Associação Argentina de Snowkite (AASK), uma associação sem fins lucrativos dedicada para difundir este esporte de forma construtiva e conforme aos padrões de segurança internacionais. É um trabalho empenhativo que é realizado em colaboração com guias de montanha e profissionais da área de segurança na neve.

# Quem pode praticá-lo?
L: todas as pessoas que querem curtir neve e liberdade de explorar lugares amplos e longe dos clássicos points turísticos.

# Quais os requisitos para praticar snowkite?
L: ter noções básicas de kitesurf e de snowboard, além de conhecer o habitat de montanha.

# Quanto tempo de prática para alcançar um nível suficiente de confiança com este esporte?
L: geralmente são suficientes umas duas temporadas para poder eseguir manobras e poder iniciar a participar nas competições. Óbvio que, apesar de apresentar fortes diferenças entre a prática na água e na neve, quem pratica kitesurf é mais facilitado e aprende mais rapidamente.

# Qual é a programação de snowkite para este inverno 2011?
L: além do clássico SnowKite Jam de Caviahue (ARG), que deverá acontecer na semana entre os dia 19 à 25 de setembro, estão previstas algumas trip pelas neves da Patagônia. Para estarem atualizados com a programação da AASK visitem o site institucional ou mais detalhes e infos em português podem ser encontrados AQUI.

Gostou? Tem mais:

Sobre ianny

...moro no Brasil, em uma ilha, e procuro neve, por paixão e por necessidade, o tempo inteiro, independentemente do mês ou do hemisfério. Sou snowboarder, goofy, mas provo prazer com todas as coisas que deslizam na neve, especialmente se são rápidas e harmoniosas com o contexto de montanha.