Presidente Macri quer estimular o turismo invernal | Forte impulso do Governo Argentino no setor dos esportes invernais

Inverno Argentino

Boas notícias para a industria de esqui argentina: o Presidente Macri está de olho no setor e quer incentivar o mercado da neve nacional. Aquilo que parecia ser como uma simples distração esportiva do Presidente argentino está começando a tomar forma embasada pelo objetivo de tornar o país no destino favorito para todos os que curtem neve, visando não somente fortalecer o mercado continental, mas também oferecer serviços mais adequado para os fissurados do hemisfério norte que querem esquiar o ano todo.


Cortesia: Informe Nieve – As intermináveis filas nos meios de elevação do Cerro Catedral (ARG)

Atualmente, como bem sabemos, todos os serviços intrínsecos ao mercado invernal são muitos precários e, em muitas situações, o atraso tecnológico é bastante bizarro. Claro que não é uma realidade exclusiva da Argentina, mas do continente todo: estamos cientes que esquiar no nosso continente sai mais caro se comparado com a maioria dos centros de esqui do hemisfério norte, além do que os serviços oferecidos são de outro nível. E não é um exagero! “É uma ótima oportunidade”, repetiu Macri nas últimas semanas, obcecado em impulsionar o turismo e trazer dólares para o país que está enfrentando uma grave crise econômica. Atualmente o turismo de esqui na Argentina envolve acerca de 600mil pessoas por temporada e sabe-se que por uma boa parte são estrangeiros. O Governo pretende que, a curto prazo, esse número cresça de forma sensível. Tudo isso já está sendo discutido a diversas semanas e poucos dias atrás apareceram finalmente os primeiros resultados.

Na última reunião do Governo que rolou nestes dias na Casa Rosada o Presidente pediu uma hora e meia a mais para dar continuação ao projeto na qual decidiu-se que será liberada uma tarifa zero para a importação de meios de elevação e para os insumos necessários para a produção de neve artificial, além de resolver o debate sobre o IVA (Imposto de Valor Agregado) nos skipass: a partir da próxima temporada os impostos sobre os passes para acessar aos meios de elevação serão de até 10,5% do valor.

Outro ponto nevrálgico para estimular Neve Argentina será de melhorar a conectividade aérea com as estações de esqui. As principais medidas serão a de aumentar o número dos voos para Malargüe (ARG), aeroporto mais próximo do centro de esqui de Las Leñas (ARG), e solucionar o problema do tamanho das aeronaves que conectam Ushuaia (ARG), porta de entrada para curtir Cerro Castor (ARG). Muitos voos para a Terra do Fogo costumam ser operados com aeronaves menores e que tem capacidade de carga de bagagens limitada, fator esse que prejudica os esquiadores que necessitam carregar equipamentos voluminosos. O Ministro dos transportes Guillermo Dietrich, que estava presente na reunião, prometeu solucionar. Outro setor que irá receber facilitações será o imobiliário: por enquanto ainda nada decidido, pois não encontrou-se possíveis acordos compatíveis com as existentes leis que protegem os bosques e as florestas acerca dos centros de esqui. Mas o Ministro do Meio Ambiente já entendeu que sem desenvolvimento imobiliário tipo ski in/out será difícil ter uma significativa explosão do turismo invernal. E é exatamente essa explosão que o Governo procura. Tomara que os “meios” não sejam tão justificados para atingir estes objetivos… atropelando a beleza que as montanhas, e a relativa natureza, proporcionam. Caso contrario a explosão será proporcionalmente oposta: ao invés que atrair, irá espantar esse tipo de mercado, cada vez mais sensível nos temas que envolvem o meio ambiente. #ProtectOurWinterRulez 😉

ianny
...moro no Brasil, em uma ilha, e procuro neve, por paixão e por necessidade, o tempo inteiro, independentemente do mês ou do hemisfério. Sou snowboarder, goofy, mas provo prazer com todas as coisas que deslizam na neve, especialmente se são rápidas e harmoniosas com o contexto de montanha.

Deixe uma resposta

Top