Inverno na América do Sul | Fronteiras fechadas e limitações turísticas

Temporada de inverno sem estrangeiros

As belas nevascas destes últimos dias e as atividades preparatórias dos centros de esqui animaram as esperanças de todos nós em previsão de uma possível temporada de inverno. A sucessão de notícias sobre aberturas, datas e protocolos nós deixaram cada vez mais empolgados e otimistas. Além do que a forte vontade manifestada pelos centros de esqui para estarem ativos sim ou sim, independentemente da quantidade de turistas, fomentaram ainda mais as hipotéticas chances de conseguir rasgar as montanhas dos vizinhos quanto menos entre meados/final da temporada. Teve até fantasiosos planos para cruzar as fronteiras passando ilegalmente pelas florestas …ou “mascarados” de caravana humanitária que, com o pretexto de levar remédios e assistência para a populações carentes, ia também contrabandar equipamentos esportivos invernais!! Nem a atual e absurda taxa de conversão Real/USD abalou os ânimos! Mas os comunicados dos Governos tanto Argentino quanto Chileno castraram quase que todas estas nossas expectativas.


Cortesia: Gobierno de Chile

No Chile o Governo confirmou a impossibilidade para estrangeiros de entrar no país até meados de setembro. As medidas limitam também os movimentos internos entre as províncias e o acesso aos serviços considerados não básicos. Os centros de esqui que conseguirão abrir irão funcionar com apenas 50% da capacidade operacional. O senso de resiliência é forte e todos estão fazendo esforços gigantescos para não levantar bandeira branca, mas alguns fatores técnicos poderão inevitavelmente bloquear estes planos. Baste pensar que o surto causado pelo Covid-19 é ainda em forte expansão e as comunidades cercanas dos centros de esqui estão justamente questionando sobre “prioridades essenciais” e na possibilidade de que atraindo turismo irão expor a localidade ao perigo de proliferação de contágios.


Cortesia: Cerro Chapelco – Preparando as pistas

Também na Argentina a situação tá difícil. O Presidente Fernández já decretou que as fronteiras permanecerão fechadas aos estrangeiros até 1° de setembro, data essa que porém poderá ser modificada (para antes ou para depois) conforme a evolução dos contágios, mas a situação sanitária dos hermanos, especialmente em Buenos Aires (ARG), está bastante complicada e não deixa muito otimismo. De qualquer forma o Ministro dos Transporte deles foi claro: existe porém a possibilidade de abrir antecipadamente algumas fronteiras com aqueles países onde a epidemia está “controlada”, mas exclui categoricamente o Brasil dessa lista pois considera nossa situação pandêmica totalmente fora de controle. E esse veto poderá se estender até depois do dia primeiro de setembro, sem contar que será imposta uma quarentena obrigatória de até 14 dias para todos os que entrarem no país. De qualquer forma, até agora, as atividades invernais parecem estar confirmadas pela maioria dos centros de esqui, mas também aqui estão surgindo petições e protestos para manter suspenso o turismo para evitar espalhar o coronavírus entre as comunidades locais.

Mais detalhes👉 Dicas e conselhos sobre turismo invernal

Curtiu nosso trabalho e quer se envolver e/ou dar aquela força a mais?

  • Siga-nos pelos canais sociais Facebook | Instagram
  • Inscreva-se na Newsletter
  • Venha participar da nossa Programaçāo
  • Vista nossa Camiseta 100% Orgânica

  • Próximas fadigas

    Inverno HS 🏔️

  • Encontrar uma soulçāo para o Covid-19🤞💪


  • ianny

    ianny

    ...moro no Brasil, em uma ilha, e procuro neve, por paixão e por necessidade, o tempo inteiro, independentemente do mês ou do hemisfério. Sou snowboarder, goofy, mas provo prazer com todas as coisas que deslizam na neve, especialmente se são rápidas e harmoniosas com o contexto de montanha.

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *