Camber for dummies

Umas ultimas considerações para simplificar e encerrar (temporariamente…) o assunto inteiramente focados sobre o [camber] e às características dos [cambers invertidos].

Em síntese a prancha com o camber invertido tem um perfil côncavo que a deixa bem mais ágil e divertida, tornando-a ideal para os jibbers, riders que gostam de snow-park, rails, mas que também curtem um freestyle nas pistas. O flex resulta mais macio e é distribuído uniformemente. A prancha adquire características que facilitam a rotação e permitem uma ajudam na correção dos triks, especialmente na aterrissagem. Além disso os cambers invertidos resultaram muito interessantes também em freeride combinando boas performances de surfada no powder com as características divertidas de uma prancha com alma freestyler.

Mas todas estas novidades não decretam o declínio do camber tradicional. De fato é uma tecnologia herdada diretamente do esqui e resulta ainda ser a melhor opção para quem procura estabilidade e precisão de/em condução além que reatividade. Isso vale tanto para os amantes do carving praticado nas pistas, quanto para aumentar o controle na transição em halfpipe.

Resultaria óbvio que, para quem está fissurado com os rails ou com os boxes e quer aproveitar do mobiliário urbano que se encontra nas cidades cobertas de neve, o caber Zero representa a melhor solução por causa do perfil totalmente plano que, aumentando a superfície de deslizamento, confere maior equilíbrio para o rider.
Vale a pena lembrar que a escolha da própria prancha não é uma decisão que pode ser tomada de forma ligeira ou baseando-se simplesmente naqueles conselhos “de amigos” ou, pior ainda, por que é considerada de moda…
Escolher um snow é sempre uma árdua empresa, mas é por isso que existem os demo tours que disponibilizam de graça produtos para serem testados e experimentados pelo público diretamente nas pistas. Quer saber quando e aonde os próximos demo tours?
Contata-me no 

Gostou? Tem mais:

Sobre ianny

...moro no Brasil, em uma ilha, e procuro neve, por paixão e por necessidade, o tempo inteiro, independentemente do mês ou do hemisfério. Sou snowboarder, goofy, mas provo prazer com todas as coisas que deslizam na neve, especialmente se são rápidas e harmoniosas com o contexto de montanha.